ESPECIALIDADES

     se você precisa, encontra aqui

Acupuntura

A acupuntura é um método terapêutico com origem na Medicina Tradicional Chinesa, que consiste na estimulação de pontos cutâneos específicos através de agulhas.

Acupuntura


A acupuntura é um método terapêutico com origem na Medicina Tradicional Chinesa, que consiste na estimulação de pontos cutâneos específicos através de agulhas.

De acordo com a Medicina Tradicional Chinesa, essa estimulação tem a capacidade de regular o fluxo energético que é responsável pela fisiologia do corpo humano.

A palavra "acupuntura" vem do latim - acus significa agulha e punctura significa puncionar.

Segundo a Medicina Tradicional Chinesa, a energia vital, chamada "Qi", flui através de canais de energia no corpo que ligam os órgãos principais, denominados meridianos.

Ao longo dos meridianos, existem pontos específicos que, quando são estimulados, podem influenciar e equilibrar a energia vital "Qi".

De acordo com a Medicina Chinesa, a doença surge quando o fluxo cíclico de Qi nos meridianos é desequilibrado ou bloqueado.

A Medicina Ocidental define a acupuntura como sendo a estimulação de pontos específicos localizados na superfície da pele, que tem a capacidade de alterar diferentes condições fisiológicas e bioquímicas no corpo, a fim de se obter o efeito desejado.

Segundo a medicina moderna, os pontos de acupuntura são áreas de sensibilidade, nas quais são introduzidas agulhas para estimular diversos receptores sensoriais que, por sua vez, estimulam os nervos que enviam impulsos para o hipotálamo e para a hipófise, localizados na base do cérebro.

Está comprovado que o estímulo pela acupuntura pode liberar endorfinas e neurotransmissores, aumentando assim a produção de neurotransmissores e neuro-hormônios, melhorando o fluxo sanguíneo e estimulando o sistema imunológico.

Efeitos e Indicações da Acupuntura
As endorfinas desempenham um importante papel no funcionamento do sistema hormonal, além de ser várias vezes mais potente que a morfina, daí a indicação e eficiência da acupuntura no tratamento de dores nas costas, artrites, infertilidade, etc.

Além de relaxarem o corpo, as substâncias liberadas pela acupuntura também atuam na regulação de serotonina no cérebro, pelo que muitas vezes a depressão é tratada com acupuntura.

Alnguns dos efeitos fisiológiocos observados num tratamento contínuo com acupuntura são a redução de inflamações, o alívio da dor e espasmos musculares, além do aumento do número de células de defesa.

Acupuntura
Saiba +

Alergia e Imunologia

Alergia e Imunologia é a especialidade médica que visa o diagnóstico e tratamento de um grande grupo de doenças que são mediadas por alterações do sistema imunológico.

Alergia e Imunologia.

As especialidades de Alergologia e Imunologia se dedicam ao estudo, diagnóstico e tratamento das patologias que afetam o sistema imunológico. Entre elas estão as doenças alérgicas, caracterizadas por uma resposta exacerbada do organismo a diferentes agentes, como alimentos, medicamentos, substâncias químicas, entre outros. São exemplos dessas enfermidades a Asma, a Rinite, a Dermatite Atópica e as Anafilaxias.

Alergia e Imunologia
Saiba +

Cirurgia Plástica

Cirurgia Plástica visa reconstituir alguma parte do corpo para tratar doenças e deformidades anatômicas, congênitas, adquiridas, traumáticas, degenerativas e oncológicas.

A Cirugia Plástica

A cirurgia plástica é uma das mais de 50 especialidades médicas reconhecidas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Associação Médica Brasileira. Por meio de avançadas técnicas cirúrgicas, seu objetivo é reconstituir alguma parte do corpo para tratar doenças e deformidades anatômicas, congênitas, adquiridas, traumáticas, degenerativas e oncológicas, bem como de suas conseqüências, objetivando beneficiar os pacientes visando seu equilíbrio biopsicosocial e conseqüente melhoria sobre a sua qualidade de vida;

As cirurgias plásticas são realizadas sob duas perspectivas: a cirurgia plástica reparadora e a cirurgia plástica estética.

A cirurgia plástica reparadora tem como objetivo corrigir lesões deformantes, defeitos congênitos ou adquiridos. É considerada tão necessária quanto qualquer outra intervenção cirúrgica.

A cirurgia plástica estética é aquela realizada com o objetivo de melhorar a aparência física do indivíduo. A pessoa quando se submete a tal intervenção cirúrgica não a faz com intenção ou propósito de obter alguma melhora em seu estado de saúde, mas sim para melhorar algum aspecto físico que não lhe agrada, ou seja, corrigir uma deformidade congênita, por exemplo, como uma orelha proeminente ou em abano, ou uma mama flácida que pode lhe dificultar um relacionamento afetivo. Situações que não lhe causam prejuízo da ordem funcional, mas sim de ordem psicológica. Atualmente, as duas cirurgias plásticas estéticas mais realizadas no Brasil são a lipoaspiração e o implante de prótese de silicone nos seios.

Cirurgia Plástica
Saiba +

Clínico Geral

Este médico trata de todas as doenças não-cirúrgicas, não ginecológicas e não obstétricas, e apenas em adultos.

Clinico Geral

 

Este médico trata de todas as doenças não-cirúrgicas, não ginecológicas e não obstétricas, e apenas em adultos. Pode acompanhar pacientes em clínicas, hospitais, pronto-socorros, unidades básicas de saúde, empresas e em domicílio.

O clínico geral está preparado para fazer diagnósticos, pedir e interpretar exames, prescrever tratamentos e acompanhar a evolução de seu paciente. Pode, inclusive, ser de grande utilidade para que, quando a pessoa precise ser encaminhada a um especialista, consiga entender melhor a análise deste médico.

Clínico Geral
Saiba +

Clínico Geral - Odonto

A clínica geral é a especialidade odontológica que envolve a prevenção, diagnóstico e tratamento de uma ampla variedade de doenças e desordens dos dentes e gengivas.

Clinico Geral - Odonto

 

A clínica geral é a especialidade odontológica que envolve a prevenção, diagnóstico e tratamento de uma ampla variedade de doenças e desordens dos dentes e gengivas. O clínico geral tem como meta a prevenção, pois é ele que faz a primeira análise do problema, e dependendo da situação, indica para um profissional especializado.

O clínico geral presta serviços relacionados à conservação da higiene oral e saúde dentária, atendendo seus pacientes através do diagnóstico, planejamento e execução do seu tratamento com os melhores recursos que a odontologia moderna pode lhe oferecer, inclusive com o apoio dos dentistas especialistas, quando necessário.

O dentista clínico geral é muito importante, pois sua atuação é a primeira na linha de defesa contra os problemas da saúde bucal. Caso o paciente necessite de procedimentos especiais, será encaminhado para o especialista mais indicado para o caso.

A importância do bom clínico geral é que este profissional permanece estudando e se atualizando em todas as áreas da odontologia para conhecer o estágio atual de todas elas, sem se aprofundar completamente em nenhuma delas, como no caso do especialista.

O clínico geral está apto a diagnosticar, planejar e executar a maioria dos tratamentos necessários ao seu paciente. Ele é capaz de fazer uma conexão do problema do paciente com alguma outra especialidade que ele não estudou, que é a função do dentista clínico geral. Bem preparado, quando o caso lhe solicita, o clínico geral saberá encaminhar o paciente para o especialista adequado.

Dentre os tratamentos mais realizados pelo dentista clínico geral estão: Pequenas restaurações e limpeza oral, remoção de tártaro e cáries, bruxismo, fluorterapia, aplicações de selante e procedimentos de urgência. É também responsabilidade do clínico geral fornecer orientação acerca da correta higiene oral e do controle de placa, através de procedimentos educativos e preventivos. 

Clínico Geral - Odonto
Saiba +

Cosmetologia

Cosmetologia é uma área da ciência farmacêutica e das ciências químicas e bioquímicas dedicada à pesquisa, desenvolvimento, elaboração, do dinheiro capital garantido produção, comercialização e aplica

A Cosmetologia


É a área da ciência farmacêutica dedicada a desenvolver, elaborar, produzir e acompanhar os efeitos e resultados de produtos cosméticos, além de realizar pesquisas e análises sobre esses produtos. Essa ciência estuda as diferentes formas e possibilidades de ação, aplicação e efeitos dos cosméticos, além de analisar como a matéria prima e seus componentes, de origem natural ou sintética, podem ser utilizados em tratamentos cosméticos.

Funções e aplicabilidade da cosmetologia A cosmetologia possui diversas funções, sendo elas:

Estética – promove um cuidado ou aperfeiçoamento na aparência da região onde o produto cosmético é aplicado; Conservadora – essa função está relacionada à proteção da pele em relação aos efeitos da radiação solar, umidade, calor, frio dentre outras variáveis físicas;
Corretiva – é a utilização de produtos cosméticos para corrigir imperfeições da pele e equilibrar pequenas disfunções fisiológicas.

Desse modo, os produtos cosméticos são desenvolvidos para auxiliar no tratamento de pele, cabelos, unhas e demais partes do corpo, como por exemplo, mãos e pés. Do rejuvenescimento da pele, redução de rugas ao controle de oleosidade dos cabelos, existe produtos cosméticos desenvolvidos pela cosmetologia buscando o bem-estar das pessoas.

Os resultados providos pela cosmetologia estão presentes no cotidiano das pessoas a todo o momento. Ao fazer a preparação da pele do rosto para se proteger do sol e se maquiar, todos os produtos passaram pelo estudo da cosmetologia. Da tintura do cabelo aos produtos de relaxamento, alisamento ou hidratação, novamente a cosmetologia se faz presente. Agora, pense em produtos com um tempo de duração prolongado, como perucas, apliques, remoção de pelos, design de sobrancelhas, por exemplo. Todos eles também passaram pelo estudo da cosmetologia.

Com todos esses exemplos, deu para perceber a importância, funcionalidade e aplicação da cosmetologia no cotidiano das pessoas. Mas, como é possível ingressar nesse meio e trabalhar nesse ramo? Confira a seguir sobre quem pode atuar nessa área e a demanda de mercado.

Cosmetologia
Saiba +

Dermatologia

Especialidade médica cuja área de conhecimento se concentra no diagnóstico, prevenção e tratamento de doenças e afecções relacionadas à pele, pelos, mucosas, cabelo e unhas.

O que é a Dermatologia?

A Dermatologia é uma especialidade médica cuja área de conhecimento se concentra no diagnóstico, prevenção e tratamento de doenças e afecções relacionadas à pele, pelos, mucosas, cabelo e unhas.

É também especialidade indicada para atuação em procedimentos médicos estéticos, cirúrgicos, oncológicos.

 

Quem é o dermatologista?

O dermatologista é o médico especialista no diagnóstico, tratamento e prevenção de doenças da pele, pelos, mucosas, cabelos e unhas. São mais de 3 mil doenças dermatológicas que afetam a pele de crianças, adultos e idosos.

O dermatologista atua no diagnóstico, prevenção e tratamento de doenças, além de orientar sobre cuidados gerais, solucionar problemas estéticos e trabalhar na manutenção da beleza da pele. Veja algumas doenças que os dermatologistas tratam: acne (espinhas), alergias, vitiligo, psoríase, queda de cabelos, hanseníase (lepra) e câncer da pele.

O profissional  também é habilitado para tratar de doenças nas mucosas, como afecções na boca, lábios, gengiva, língua e também na área genital. Neste caso enquadram-se as doenças sexualmente transmissíveis (DST) ou doenças venéreas.

 

O que é preciso para se tornar um dermatologista?

É preciso graduar-se em Medicina, curso que compreende seis anos de estudo em período integral. Os médicos formados, para se tornarem especialistas, fazem um curso de especialização ou um curso de residência médica ou de especialização em Serviço Credenciado à SBD. No caso da Dermatologia, o curso dura de três a quatro anos, em período integral.

Nesta etapa, os médicos atendem pacientes e aprendem sobre todo tipo de doença de pele. Familiarizam-se com os tratamentos clínicos, cosmiátricos, laser, oncológicos e cirúrgicos que envolvam a pele e seus anexos. São quase nove mil horas de estudo, apenas na residência, para tornar o médico apto a tratar e diagnosticar as diversas doenças e problemas da pele e de suas extensões.

Dermatologia
Saiba +

Endocrinologia

A Endocrinologia trata doenças como a de Diabetes, obesidade, doenças da tireoide, desordens da glândula hipófise, distúrbios da menstruação, entre outros

A Endocrinologia

Endocrinologia é uma especialidade médica que estuda as ordens do sistema endócrino e suas secreções específicas, chamadas de secreções fisiológicas.

As principais áreas de atuação do especialista, que é denominado endocrinologista, são o tratamento de: diabetes, obesidade, doenças da tireoide, desordens da glândula hipófise, distúrbios da menstruação, entre outros.

A endocrinologia possui vários ramos de estudo, como a neuroendocrinologia, tireoide, obesidade e diabetes, adrenais, endocrinologia feminina e masculina, metabolismo dos carboidratos, lipídios e proteínas, tumores neuroendócrinos e síndromes poliglandulares.
 

Endocrinologia e Metabologia

A endocrinologia e metabologia busca integrar a endocrinologia clássica com a medicina funcional e o estilo de vida, com o objetivo de otimizar a saúde do indivíduo através uma abordagem holística, centrada na prevenção de doenças antes que se manifestem.

Enquanto a endocrinologia apresenta um campo vasto no tratamento dos órgãos que produzem hormônios, a metabologia é a ciência que estuda o conjunto de mecanismos químicos que o organismo necessita para a formação.

Como resultado, a endocrinologia e metabologia se apoiam em pilares em busca de maior qualidade de vida:

Exercícios físicos regulares; Alimentação saudável; Saúde do sono e manejo do stress.
 

No Brasil

A Endocrinologia, no Brasil, foi introduzida na década de 1950, quando foi criada a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, também conhecida por sua sigla "SBEM".

A especialidade vem ganhando projeção, com o passar dos anos, pois as desordens por ela tratadas vêm aumentando sua prevalência na população brasileira e no mundo. A obesidade, por exemplo, afeta cerca de 42% da população, e cerca de 15% da população brasileira tem diabetes (embora só a metade destes o saiba). Essas duas doenças, decorrentes em grande parte da modificação alimentar causada pelo desenvolvimento no mundo, estão em ascensão, e têm merecido grande atenção, por parte dos serviços de saúde.
 

Regulamentação

A Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), afiliada à Associação Médica Brasileira (AMB), é o órgão regulamentador da especialidade médica.

A SBEM realiza anualmente a prova para obtenção do Título de Especialista em Endocrinologia e Metabologia (Sigla: TEEM), bem como apoia a produção acadêmica e colaboração científica, contando com dois grandes congressos médicos da especialidade, sendo um de Atualização nos anos ímpares e de outros debates mais amplos em anos pares.

A Archives of Endocrinology and Metabolism (AE&M) é o orgão oficial de divulgação científica da SBEM. A publicação possui nove edições/ano em versão impressa e a versão eletrônica completa - com acesso aberto - está disponível na SciELO - Scientific Electronic Library Online.

Hoje, são aproximadamente 3500 associados ativos em todo país.
 

Áreas de Atuação

Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, as principais áreas de atuação do endocrinologista são as seguintes:

          - Andropausa
          - Colesterol e Triglicerídeos
          - Crescimento
          - Diabetes
          - Distúrbios da Menstruação
          - Distúrbios da Puberdade
          - Doenças da Glândula Supra-Renal
          - Doenças da Hipófise
          - Excesso de Pelos
          - Obesidade
          - Osteoporose
          - Reposição Hormonal da Menopausa
          - Tireoide
 

Endocrinologia
Saiba +

Endodontia

A endodontia tem a função de tratar a estrutura interna do dente, chamada de polpa dentária. E sem o devido cuidado nessa região, seu sorriso não consegue transmitir saúde e beleza.

Endodontia

A endodontia tem a função de tratar a estrutura interna do dente, chamada de polpa dentária. E sem o devido cuidado nessa região, seu sorriso não consegue transmitir saúde e beleza.

Perceber que você tem uma cárie e não tratar dessa lesão é uma atitude errada para sua saúde bucal. Essa bactéria acaba atingindo a polpa dentária (mais conhecida como o nervo do dente), podendo, até mesmo, causar a perda do elemento. Para não chegar a este ponto, o melhor a ser feito é procurar um especialista em endodontia. "Ele é altamente capacitado a abrir o dente e remover a polpa dentária que foi contaminada pela cárie ou por algum tipo de fratura", explica o odontologista.

Depois de retirar a parte nervosa do dente, ele realiza o selamento da raiz para certificar que nenhum outro microrganismo possa tomar conta daquela parte interna. Além de tratar lesões cariosas profundas, a endodontia é focada em corrigir fraturas e traumas dentários, visando sempre a manutenção do dente.

Endodontia
Saiba +

Estética

Desde os tempos antigos sempre existiu a preocupação com a beleza. Dessa forma, várias pessoas vêm buscando por produtos e tratamentos que possam melhorar a aparência física. ​

Estética

Desde os tempos antigos sempre existiu a preocupação com a beleza. Dessa forma, várias pessoas vêm buscando por produtos e tratamentos que possam melhorar a aparência física.

O mercado evoluiu e os tratamentos estéticos estão oferecendo resultados satisfatórios e alguns até imediatos. Antes, o cuidado com o corpo era baseado mais precisamente com dietas, cremes e aparelhos com eficácia limitada. Já nas últimas décadas a tecnologia passou a oferecer melhorias para as pessoas que desejam ter um corpo mais bonito ou “perfeito”, o que traz como resultado uma autoestima elevada e qualidade de vida. Sendo assim, tornou-se popular a estética corporal.

Termoterapia Estética 
No tratamento de termoterapia estética é utilizado mantas térmicas para ajudar na redução de medidas, facilitar a penetração de princípios ativos pela permeabilidade cutânea e pela vasodilatação.

Drenagem linfática
Por meio de movimentos contínuos e suaves a drenagem linfática melhora o fluxo linfático e auxilia na fisiologia e metabolismo do organismo, inclusive nos pré e pós-cirúrgicos.

Vinhoterapia
Traz ótimos benefícios nos procedimentos faciais e corporais, pois o vinho possui propriedade antioxidante e combate os radicais livres.

Massoterapia
A massoterapia estética é feita com o uso de óleos ou cremes de massagem em movimentos deslizantes iguais.

Crioterapia Estética
O tratamento estético utilizando a Crioterapia tem como benefício o combate à flacidez e tonificação da pele. Esse tratamento é realizado normalmente utilizando argila ou géis que resfriam o local do corpo a ser tratado.

Depilação corporal
Também é um procedimento da estética corporal que pode ser feito com o uso de ceras frias ou quentes para deixar a pele com um aspecto mais bonito e limpo.

Esfoliação corporal
Consiste em uma mistura de substância granular com um óleo ou creme específico que é esfregado em todo o corpo do cliente para limpar, esfoliar e hidratar a pele. Existem esfoliantes corporais à venda em lojas de cosméticos e farmácias. Essa esfoliação remove as células mortas e devolve um aspecto mais natural, liso e suave à derme.

Endermologia
A técnica da estética chamada endermologia é um dos que utilizam aparelhos de estética corporal. Nesse caso o procedimento é executado com um que funciona através de uma massagem feita por sucção. Ela age nos vasos linfáticos para eliminação de gorduras e toxinas presentes no corpo, por isso é ideal utilizar este método como tratamento estético para celulite e combate a flacidez.
São muitas as técnicas realizadas a serviço da beleza, não somente para reduzir medidas, tratamentos para gordura localizada ou tratamento para flacidez, mas também para hidratar o corpo e a pele em geral; levando conforto e relaxamento para os clientes.

Logo, esse é um dos segmentos profissionais mais disputados no mercado.
Os tratamentos estéticos faciais também são muito requisitados e trazem muitos benefícios.
Os tratamentos estéticos já estão consolidados. Por isso se faz necessário que o profissional busque cada vez mais conhecimentos e formação específica em curso de estética a fim de melhorar sempre sua qualificação e promover satisfação a seus clientes pelo serviço prestado.

Estética
Saiba +

Fisioterapia

A Fisioterapia ortopédica visa tratar disfunções osteomioarticulares e tendíneas resultantes de traumas e fraturas, lesões por esforços repetitivos e patologias ortopédicas.

A Fisioterapia Ortopédica

A Fisioterapia ortopédica visa tratar disfunções osteomioarticulares e tendíneas resultantes de traumas e fraturas e suas consequências imediatas e tardias, lesões por esforços repetitivos e patologias ortopédicas.

São utilizados recursos eletrotermofototerápicos, terapia manual e cinesioterapia na reabilitação dos pacientes. Fisioterapia ortopédica é a área mais comum associada a esta profissão, que engloba lesões esportivas, o desgaste, bem como pequenos e grandes traumas, pós-condições cirúrgicas e doenças congênitas.

Para a fisioterapia ortopédica dar resultado, é preciso utilizar recursos terapêuticos como eletroterapia, terapia manual, fortalecimento muscular, alongamento muscular, treino sensório motor e por fim retorno às atividades.

Indicações:
    - Entorses;
    - Contraturas;
    - Tendinites;
    - Bursites;
    - Pré e Pós Operatório;
    - Problemas de Membros Superiores: Ombro, Cotovelo, Punho e Mão;
    - Problemas de Membros Inferiores: Quadril, Joelho, Tornozelo e Pé.

 

Fisioterapia
Saiba +

Fisioterapia Oftálmica

Previne, trata e reabilita os distúrbios da visão sensorial e motora através de treino e exercícios nos músculos extraoculares

Reabilitação Oftálmica


A Reabilitação Oftálmica procura corrigir algumas anomalias oftalmológicas sem recorrer à cirurgia. Através de exercícios ortópticos ela trabalha o estímulo do globo ocular a fim de dar tônus à musculatura, melhorar a coordenação dos músculos oculares e ajustes de foco.

O tratamento da Fisioterapia ocular pode ser realizado separadamente ou em conjunto com tratamentos clínicos feitos com oftalmologistas e Neurologistas, como forma de acelerar a reabilitação ocular do paciente.

O Diagnóstico precoce faz toda a diferença!

A Fisioterapia Oftálmica auxilia e trata transtornos oculares diversos como:
     • Estrabismo
     • Ambliopia (olho preguiçoso)
     • Alterações sensoriais
     • Problemas com foco visual
     • Estereopsia (Redução da visão de profundidade)
     • Fotofobia
     • Visão dupla
     • Insuficiência de Convergência
     • Algumas dificuldades de leitura e aprendizagem.
 

Fisioterapia Oftálmica
Saiba +

Fonoaudiologia

O fonoaudiólogo é o profissional da área da saúde que trabalha com os diferentes aspectos da comunicação humana: linguagem oral e escrita, fala, voz, audição e funções responsáveis pela deglutição, respiração e mastigação.

O fonoaudiólogo é um profissional de saúde, que atua de forma autônoma e independente nos setores público e privado. É responsável pela promoção da saúde, prevenção, avaliação e diagnóstico, orientação, terapia (habilitação e reabilitação) e aperfeiçoamento dos aspectos fonoaudiológicos da função auditiva periférica e central, da função vestibular, da linguagem oral e escrita, da voz, da fluência, da articulação da fala e dos sistemas miofuncional, orofacial, cervical e de deglutição. Exerce também atividades de ensino, pesquisa e administrativas.

Fonoaudiologia
Saiba +

Gastropediatria

Gastropediatria é responsável por prevenir, diagnosticar e tratar as doenças do aparelho gastrointestinal da criança e do adolescente.

Gastropediatria ou  Gastroenterologia Infantil

A Gastroenterologia Pediátrica é uma especialidade que auxilia o pediatra na assistência de crianças e adolescentes portadoras de sintomas relacionados ao tubo digestivo, como náuseas, vômitos, diarreias, alergias aos alimentos, dores abdominais, constipação intestinal, entre outros. Identifica doenças específicas do esôfago, estômago, intestino fino e grosso, além do pâncreas e vesícula biliar.

Gastropediatria
Saiba +

Ginecologia

A ginecologia é a especialidade da medicina dedicada aos cuidados do aparelho genital feminino.

Ginecologia

A ginecologia é a especialidade da medicina dedicada aos cuidados do aparelho genital feminino. Os ginecologistas são portanto os especialistas que tratam de todas as questões relacionadas com o útero, a vagina e os ovários.

O médico grego Soranus, da escola metodista, é considerado o autor do primeiro tratado de ginecologia. Os avanços da medicina têm associado a ginecologia à obstetrícia, que se ocupa da gravidez, do parto e do puerpério. Actualmente, a maioria dos ginecologistas são obstetras e vice-versa.

A ginecologia permite o diagnóstico e o tratamento de doenças como o cancro, o prolapso, a amenorreia, a dismenorreia, a menorragia e a infertilidade. Para realizar a sua actividade, os ginecologistas utilizam instrumentos como o espéculo, que possibilita realizar exames à vagina e ao colo do útero.

As mulheres devem ir às consultas ginecológicas de forma periódica para gozarem de uma boa saúde e prevenir os distúrbios. Contudo, devido ao carácter íntimo destes estudos que cause um certo desconforto, muitas das vezes, acabam por ser postergados.

A prova do Papanicolau, igualmente conhecida pelo nome de citologia vaginal, é o exame ginecológico mais habitual. O ginecologista extrai amostras das células epiteliais que se encontram na zona de transição do colo uterino, o que lhe permite conhecer o estado hormonal, identificar alterações inflamatórias e orientar sobre um possível diagnóstico do cancro do colo do útero.

Inventado pelo médico grego Georgios Papanicolaou (1883-1962), trata-se de um exame simples, económico e eficaz que deve ser realizado por todas as mulheres desde que iniciam a sua vida sexual até aproximadamente aos seus 65 anos de idade.

Ginecologia
Saiba +

Hipnoterapia

A hipnose é uma técnica que, com a ajuda do profundo relaxamento do paciente, faz com que ele entre em estado de concentração profunda.

Hipnoterapia

O que é Hipnoterapia?

A Hipnoterapia (ou Hipnose Clínica) consiste na aplicação de técnicas para realizar uma reprogramação do subconsciente. Muitos problemas são causados por eventos do passado que nem lembramos. O papel do hipnoterapeuta é identificar esses eventos e ajudar a pessoa a ressignificá-los.

Diferente dos métodos tradicionais, a hipnoterapia trata a causa do problema diretamente no subconsciente e por isso os resultados são mais efetivos e rápidos.
 

CASOS QUE PODEM SER TRATADOS ATRAVÉS DA HIPNOTERAPIA:

• Depressão
• Ansiedade
• Síndrome de Pânico
• Compulsão Alimentar
• Baixa autoestima
• Relacionamentos Tóxicos • Procrastinação
• Dores
• Medos e Fobias
• Disfunções Sexuais
• Asma
• Medo de Falar em Público
• Entre diversos outros
 

Hipnoterapia
Saiba +

Homeopatia

homeopatia é uma especialidade médica e farmacêutica que consiste em ministrar ao doente doses mínimas do medicamento homeopático para evitar a intoxicação e estimular a reação orgânica.

O que é homeopatia e para que serve?

De forma objetiva, homeopatia é uma especialidade médica e farmacêutica que consiste em ministrar ao doente doses mínimas do medicamento homeopático para evitar a intoxicação e estimular a reação orgânica.

É uma prática que serve para restabelecer o equilíbrio da saúde com foco no indivíduo, e não na doença. 

Para saber o que é homeopatia, é importante conhecer seus princípios, organizados pelo médico alemão Samuel Hahnemann, apontado como o criador da prática, em 1796.  Acompanhe!

Quais são os princípios da homeopatia?

Lei do Semelhante
Como um dos principais fundamentos da homeopatia, a lei do semelhante indica que as substâncias que são capazes de ocasionar determinados sintomas em um indivíduo sadio podem estimular a cura em indivíduos que estão doentes e apresentam os mesmos sintomas ocasionados. 

Para exemplificar: um medicamento capaz de provocar, em uma pessoa sadia, febre, dores de cabeça e fadiga pode ser usado para curar uma pessoa doente e que apresente os mesmos sintomas.

Experimentação no Homem Sadio

O segundo princípio da homeopatia está relacionado aos experimentos das substâncias usadas em medicamentos homeopáticos. 

Também chamada de experimentação patogenética, homeopática ou pura, é o procedimento de testar substâncias medicinais em indivíduos sadios para identificar os sintomas que irão refletir sua ação.

As substâncias são testadas em diferentes doses e concentrações. Assim, os sintomas físicos, funcionais, emocionais e mentais são identificados para que seja registrada a patogenesia. O termo significa o conjunto de sinais, objetivos e subjetivos que um organismo sadio apresenta ao experimentar determinada substância medicinal. 

Com a identificação da patogenesia, é possível indicar a aplicação da substância em indivíduos doentes que apresentem os mesmos sintomas.

Doses Mínimas

Nos primórdios dos estudos sobre homeopatia, o médico Samuel Hahnemann identificou que, ao iniciar o tratamento com doses elevadas, era percebido o agravamento dos sintomas. Isso acontecia pelo somatório dos sintomas naturais provocados pela doença com os sintomas artificiais provocados pelo medicamento.

Assim, ele passou a fazer testes reduzindo as doses com uma técnica de diluição em água e álcool. Além de diluir o medicamento homeopático, passou a homogeneizar as soluções através de agitações, chamadas por ele de sucussões.

Desta forma, foi identificada a redução das agravações dos sintomas observados nas doses com alta concentração, além do maior potencial de cura. 

Você já deve ter ouvido a expressão “doses homeopáticas” quando alguém quer relacionar algo que acontece aos poucos ou em pequenas quantidades, certo? A expressão vem da manutenção dos medicamentos homeopáticos, apresentados em doses reduzidas e diluídas.

Medicamento Único

O quarto e último princípio da homeopatia faz referência à experimentação dos medicamentos.  A técnica estabelecida pelo médico Samuel Hahnemann aponta que, para identificar a patogenesia de cada medicamento, é fundamental que seja estudado de forma isolada. 

Ao analisar uma substância por vez, é possível evitar interferências de outros medicamentos e relacionar os sintomas com os efeitos de forma mais precisa.

Qual o principal diferencial da homeopatia?

A medicina ocidental possui duas correntes terapêuticas opostas: alopatia e homeopatia. Enquanto a homeopatia é embasada na cura pelo semelhante, a alopatia, relacionada à medicina convencional, trata doenças e sintomas com medicamentos que produzem efeitos contrários.

A homeopatia é uma especialidade?

RECOMENDADA pela OMS (Organização Mundial da Saúde), a homeopatia foi reconhecida em 1980 como especialidade médica no Brasil pelo CFM (Conselho Federal de Medicina), pelo decreto nº 1.000/ 80, sendo uma prática médico-terapêutica de ampla aplicabilidade, com princípios bem determinados e grande aceitação por parte dos pacientes.

Homeopatia
Saiba +

Implantes

Implantes dentários são suportes ou estruturas de metal (normalmente de titânio) posicionadas cirurgicamente no osso maxilar abaixo da gengiva para substituir as raízes dentárias.

Implantes Dentários

Por serem integrados ao osso, os implantes oferecem um suporte estável para os dentes artificiais. Próteses parciais e totais montadas sobre implantes não escorregarão nem mudarão de posição na boca, um grande benefício durante a alimentação e fala. Esta modalidade de prótese é chamada “protese sobre implante” e confere ao paciente mais segurança em todas as funções bucais proporcionando uma situação mais natural do que pontes ou dentaduras convencionais.

Para algumas pessoas, as próteses e dentaduras comuns são simplesmente desconfortáveis ou até inviáveis, devido a pontos doloridos ou falta de adaptação a estes aparelhos. Além disso, as pontes comuns devem ser ligadas aos dentes em ambos os lados do espaço deixado pelo dente ausente. Com a colocação de implantes não é necessário preparar ou desgastar um dente natural para apoiar os novos dentes substitutos no lugar como é feito em pontes fixas convencionais.

Para receber um implante, é preciso que você tenha gengivas saudáveis e ossos adequados para sustentá-lo. Você também deve comprometer-se a manter estas estruturas saudáveis. Uma higiene bucal meticulosa e visitas regulares ao dentista são essenciais para o sucesso a longo prazo de seus implantes.

 

Implantes
Saiba +

Investimentos

Manter uma vida financeira saudável e equilibrada ê essencial para nosso bem estar fîsico e emocional. Por isso buscamos tambem ajudar as pessoas a atingirem este objetivo em cada etapa da vida.

Investimentos
 

Muito simples: investir significa colocar seu dinheiro para trabalhar para você. É uma forma diferente de pensar sobre como fazer dinheiro.

A maioria das pessoas pensa que só podemos ganhar mais dinheiro através do trabalho. E é exatamente o que a maioria faz. Há um grande problema nisso: se você quer mais dinheiro, tem que trabalhar mais.

Entretanto há um limite para a quantidade de horas por dia para trabalhar, sem mencionar o fato que ter um monte de dinheiro não é divertido se não tiver tempo livre para aproveitá-lo.

Como não é possível criar uma cópia de si mesmo para aumentar seu tempo de trabalho, você precisa enviar uma extensão de si mesmo – seu dinheiro – para trabalhar. Dessa forma, enquanto você estiver trabalhando, viajando, dormindo ou se divertindo, também está ganhando dinheiro.

Colocar o dinheiro para trabalhar para você potencializa seus ganhos independente de receber um aumento, decidir trabalhar mais horas ou procurar por um emprego com melhor salário.

Investimentos
Saiba +

Medicina de Familia

A Medicina de Família é uma medicina centrada nas pessoas, voltada para o resgate da relação de confiança dos médicos com os seus pacientes com maior vínculo.

Medicina Familiar


Médico de família é aquele que acompanha a família toda, atende desde crianças, gestantes, adultos e idosos. Conhece e valoriza a história da família, busca promover a saúde, pode resolver cerca de 90% das queixas e quando precisa encaminhar sabe qual especialidade mais indicada. A propósito, a medicina de família é uma especialidade das mais antigas que agora volta a ser valorizada pelos melhores hospitais, pois mostrou o seu valor.

A Medicina de Família é uma medicina centrada nas pessoas, voltada para o resgate da relação de confiança dos médicos com os seus pacientes com maior vínculo decorrente do estabelecimento de relações sólidas e duradouras entre médicos, pacientes, suas famílias e a sociedade.

As implicações na saúde, no bem-estar e na qualidade de vida decorrentes dessa forma de trabalho são marcantes. Ressalte-se que o respeito ao momento e à condição de vida de cada indivíduo, segundo os seus referenciais e a empatia com os pacientes. Isso porque, muitas vezes, as pessoas deparam-se com situações dramáticas e conflituosas, são o centro da atuação da Medicina de Família.

 

Medicina de Familia
Saiba +

Medicina Esportiva

especialidade médica cujo objetivo é o de investigar a influência do exercício, do treinamento e do esporte sobre as pessoas sadias ou doentes, com a finalidade de tratar e reabilitar

Medicina Esportiva ou Medicina do Esporte

 

A Medicina do Esporte (Esportiva) é uma especialidade médica como qualquer outra (pediatria, ortopedia, ginecologia, entre outras) reconhecida em nosso país pelos conselhos que regem a medicina. Em 1962 foi criada a Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE) filiada à Associação Médica Brasileira (AMB).

No Brasil, a Medicina Esportiva possui quase 800 médicos especialistas e está ganhando mais força e adeptos devido à grande demanda desse profissional no mercado de trabalho atual. A criação da residência médica em Medicina Esportiva, em vigor desde 2005, só veio solidificar sua importância no meio médico.

A Medicina do Esporte aborda questões sobre a atividade física, exercício físico e do esporte em pessoas de todas as idades, de todos os níveis de treinamento, com doenças ou sadias, com a intenção de prevenir, tratar, reabilitar, melhorar o desempenho e a qualidade de vida das pessoas. Assim sendo, a Medicina do Esporte atua em quase todas as especialidades entre elas: fisiatria, emergência, endocrinologia, pneumologia, cardiologia, ortopedia, pediatria, geriatria, reumatologia, ginecologia, otorrinolaringologia, etc.

Faz parte da rotina do atendimento do médico dessa especialidade gerenciar o individuo como um todo na tentativa de atuar no objetivo do paciente, estimulando e impulsionando o mesmo a ter uma rotina de hábitos saudáveis, e consequentemente melhorar aquilo que o fez procurar um médico do esporte.

Independente de sua idade, sexo, raça e se tem doenças ou não, sempre que pretender iniciar uma atividade física, exercício físico ou mesmo uma modalidade esportiva, procure um médico do esporte.

Medicina Esportiva
Saiba +

Medicina Fetal

O fetólogo possui as competências necessárias para promover a prevenção e realizar procedimentos diagnósticos ou terapêuticos, relacionados à gravidez.

Medicina Fetal

A Medicina Fetal é a área de atuação dedicada à promoção da saúde materno-fetal, considerada uma sub-especialidade da ginecologia e obstetrícia. O fetólogo possui as competências necessárias para promover a prevenção e realizar procedimentos diagnósticos ou terapêuticos, relacionados à gravidez. Esses procedimentos variam desde uma consulta para aconselhamento genético, cálculo de risco para doenças cromossômicas, pré-eclâmpsia ou trabalho de parto prematuro, até cirurgia fetal intraútero.3

A principal ferramenta utilizada na Medicina Fetal é a ultrassonografia, a qual possui finalidades específicas em cada trimestre da gestação.4 Por se tratar de uma especialidade médica que se baseia em exames de imagem, pode acarretar pouca proximidade com o paciente, quando comparada a uma especialidade puramente clínica.5 Baseado nisso, pergunta-se: por que não humanizar a Medicina Fetal? Como isso seria possível? Um atendimento humanizado é aquele que reconhece os direitos do paciente, valorizando a qualidade do cuidado no ponto de vista técnico, assim como o reconhecimento profissional.6 Para isso, medidas simples, que foram perdidas com o aumento da demanda e superlotação dos hospitais e consultórios médicos, devem ser repensadas e colocadas em prática no dia a dia.

Realizar um exame de ultrassonografia obstétrica tornou-se, por vezes, algo mecânico, com pouca ou nenhuma relação médico-paciente. São profissionais usando máquinas para descrever o laudo dos exames, informando à gestante, apenas, que está tudo normal ou não. O acolhimento, recebendo seu paciente à porta, com um simples cumprimento, além de permitir a entrada de acompanhantes, pode, entretanto, fazer toda a diferença. Chamá-la pelo nome, sentar-se e conversar sobre o pré-natal ou comorbidades adquiridas na gestação, descobrindo o motivo do exame, explicar o seu objetivo e o que será avaliado, tudo isso transforma aquele momento, de tensão para a mãe ou familiares,em um ambiente de confiança e segurança. Assim, visando deixar a paciente mais tranquila e segura em relação à sua gestação, mostrando e explicando a imagem projetada na tela, utilizando recursos, por exemplo imagem tridimensional (3D), quando disponível, pode ser mais uma ferramenta útil e simples para humanização da medicina fetal.

Medicina Fetal
Saiba +

Medicina Preventiva

Medicina Preventiva é a principal especialidade médica que se dedica à prevenção da doença ao invés de seu tratamento.

Medicina Preventiva

 

A medicina preventiva é especialidade médica focada em evitar o desenvolvimento de doenças, reduzir o impacto das enfermidades na saúde dos indivíduos e melhorar a qualidade de vida de pacientes em tratamento.

O conceito de medicina preventiva surgiu em meados do século XX como um movimento que propunha uma abordagem diferente da medicina.

A ideia básica era mudar o foco da prática médica, que até então se concentrava exclusivamente no tratamento das doenças, para uma visão mais voltada à promoção da saúde.

Desde então surgiram várias definições para esta prática, mas todas concordam em um ponto: para ter sucesso em uma estratégia de prevenção são necessárias intervenções as mais precoces possíveis no curso da história natural da doença.

Dessa forma, de um ponto de vista mais operacional, a medicina preventiva também pode ser entendida como um conjunto de técnicas representadas por ações de promoção da saúde e de prevenção de doenças e suas complicações.

Trata-se de uma intervenção proativa, realizada no tempo presente, em função dos riscos projetados para o surgimento ou agravamento de uma doença no futuro.

Medicina Preventiva
Saiba +

Metabologia

metabologia é uma especialidade médica relativamente nova e que consiste no estudo do metabolismo humano tendo em vista a alimentação como fonte de energia elementar.

A metabologia

 

A metabologia estuda o metabolismo humano, sempre verificando como acontecem as transformações do organismo ao longo dos anos. Dessa forma, ela estuda e atua para sanar possíveis problemas que no futuro podem se transformar em doenças. Ela ainda estuda a energia dos alimentos e como elas interagem com o corpo.

Dessa forma a endocrinologia e a metabologia podem agir unidas com o objetivo de fazer as pessoas terem uma melhor qualidade de vida e uma vida mais longa.

As medicinas de prevenção são consideradas essenciais no futuro na saúde humana. Isso porque elas garantem uma vida tranquila e extensa. A maioria das pessoas que busca um atendimento precoce em caso de sintomas, consegue diagnosticar rapidamente doenças. Desta forma elas são tratadas de maneira mais suave, causando menos impacto ao organismo.
 

 

Relação entre metabologia e endocrinologia

 

Os principais pontos que a endocrinologia e a metabologia se unem seriam em questões que visam uma melhor qualidade de vida. Algumas delas envolvem: exercícios físicos, alimentação saudável, cuidados com o sono e redução do estresse. Estes pilares em ambos segmentos são essenciais para quem busca uma longevidade.

Os profissionais então, podem alinhar processos em busca de equilibrar o metabolismo em geral. Enquanto a endocrinologia trata as disfunções de secreções e hormônios, o profissional de metabologia verifica as reações químicas que o organismo necessita para seu melhor desempenho.

Metabologia
Saiba +

Micropigmentação

A micropigmentação, por definição, é a implantação de pigmento na pele. Geralmente, esse tratamento é o mais recomendado para quem tem falhas na região dos olhos, boca ou sobrancelha.

Micropigmentação


A micropigmentação, por definição, é a implantação de pigmento na pele. Geralmente, esse tratamento é o mais recomendado para quem tem falhas na região dos olhos, boca ou sobrancelha.

Com a micropigmentação, é possível desenhar sobrancelhas e o contorno dos olhos e dos lábios, iluminar e corrigir falhas usando recursos de cores e espessura num processo muito parecido com o da maquiagem definitiva e aplicando pigmento e conferindo, assim, naturalidade à aparência.

Existem dois tipos de micropigmentação: a estética e a paramédica. As duas têm o mesmo fim, mas o que as difere são os motivos pelos quais o processo deve ser feito.

A micropigmentação estética, como o próprio nome diz, diz respeito ao processo de implantação de pigmento na pele motivado por razões unicamente estéticas, dependendo sempre da vontade do paciente e da autorização de um profissional devidamente capacitado.

Já a micropigmentação paramédica, geralmente, acontece em decorrência de uma indicação médica para corrigir falhas na região das sobrancelhas, olhos ou ao redor da boca, como queimaduras, flacidez, entre outros problemas.

Micropigmentação
Saiba +

Nutrição Clínica

O nutricionista foi educado na ciência da nutrição humana com a finalidade de assumir a responsabilidade pelo acompanhamento nutricional de indivíduos e grupos.

Nutrição Clinica

O nutricionista foi educado na ciência da nutrição humana com a finalidade de assumir a responsabilidade pelo acompanhamento nutricional de indivíduos e grupos, portanto, o nutricionista clínico é um membro das equipes de atendimento à saúde que atua na assistência nutricional de indivíduos e grupos para a manutenção das condições de saúde.

Ao atuar em uma instituição que fornece serviços alimentares (ex: hospitais), o nutricionista clínico colabora com os outros membros da equipe administrativa do setor de nutrição e pode coordenar atividades no setor. Para Frangella, Tchakmakian e Pereira (2007), cabe ao nutricionista clínico as seguintes atividades:

a) Adequar e atualizar seus conhecimentos nutricionais e fisiopatológicos.

b) Realizar inquérito alimentar para conhecer os hábitos alimentares e culturais do paciente e sua família.

c) Avaliar o estado nutricional dos pacientes, utilizando-se de métodos subjetivos e objetivos.

d) Planejar e implementar a dieta mais adequada para a situação nutricional e de doença do paciente, determinando as necessidades calóricas e nutricionais pertinentes ao caso.

e) Viabilizar a elaboração e distribuição adequada da dieta planejada.

f) Acompanhar a distribuição das refeições aos pacientes para avaliar a aceitação alimentar.

g) Rever e replanejar a conduta dietética, sempre que necessário.

h) Participar efetivamente da equipe multidisciplinar de terapia nutricional, quando existir na unidade hospitalar.

i) Trabalhar a interdisciplinaridade e a transdisciplinaridade com os diferentes membros da equipe de saúde.
j) Fomentar a pesquisa para contribuir com o avanço da ciência da nutrição.

É importante destacar que, já na década de 80, Anderson et al. (1988), alertava que o nutricionista clínico nunca poderá delegar sua responsabilidade pela qualidade da assistência nutricional de qualquer paciente a outro membro da equipe de saúde que não seja outro nutricionista.

Os setores de atuação do nutricionista clínico em unidade hospitalar são: chefia e coordenação do serviço de nutrição clínica da instituição, membro do corpo clínico diretor do hospital, atendimento dos pacientes nas unidades de internação (enfermarias), atendimento nutricional em ambulatório hospitalar, responsável técnico pelo lactário, banco de leite humano e equipe multidisciplinar de terapia nutricional – EMTN (preferencialmente, conforme a legislação vigente, um responsável técnico para cada setor citado anteriormente), bem como em qualquer atividade que esteja exercendo pode desenvolver e coordenar estudos e pesquisas na área de nutrição clínica.

Para poder desempenhar adequadamente suas funções assistenciais, o nutricionista clínico deve desenvolver uma série de qualidades e condições tais como: sagacidade para interpretar todos os componentes pessoais de seus pacientes; flexibilidade mental para adequar-se e adaptar-se às diferentes circunstâncias da atuação profissional; poder de decisão para assumir a responsabilidade em determinar a conduta dietética; capacidade de trabalhar em equipe para compreender as diferentes nuances do trabalho em equipe e, principalmente, conviver com outras categorias profissionais, respeitando seus limites de atuação e sentido existencial e humano, não rígido, nem estrito e, tampouco esquemático, sendo sensível diante dos problemas humanos.

Mas, antes de tudo, o nutricionista deve assumir sua tarefa com atitude positiva, manter-se permanentemente atualizado e amar sua profissão, respeitando-a com uma excelente atuação e valorizando-a com ética e profissionalismo.

Nutrição Clínica
Saiba +

Nutrição Esportiva

A Nutrição esportiva é a área que aplica a base de conhecimentos em nutrição, fisiologia e bioquímica no esporte e atividade física.

Nutrição Esportiva

A Nutrição esportiva é a área que aplica a base de conhecimentos em nutrição, fisiologia e bioquímica no esporte e atividade física. Dentre os principais objetivos da nutrição esportiva estão a promoção da saúde, melhora do desempenho e otimização da recuperação pós-exercício.

A nutrição esportiva é uma área acadêmica intimamente relacionada ao curso de Educação Física e ao curso de Nutrição.  Desta forma a nutrição esportiva pode auxiliar um programa de exercícios com finalidade específica, seja para melhoria da saúde ou aumento de força.

Atualmente a nutrição esportiva é considerada por alguns autores como o segundo fator que mais influencia o desempenho de atletas, sendo o primeiro fator o treinamento. Obviamente depende-se da modalidade esportiva em questão, para um maratonista a nutrição esportiva é muito mais importante que para um atleta do tiro com arco.

A suplementação para atletas como maratonistas por exemplo, é importante devido ao grande gasto energético que este atleta apresenta, mas esta suplementação deve ser controlada para que não sobrecarregue o organismo do atleta.

Nutrição Esportiva
Saiba +

Odontopediatria

A odontopediatria é o ramo da odontologia que cuida da saúde bucal das crianças. Hoje sabemos que o grande medo que as pessoas têm de enfrentar a cadeira do dentista devido às experiências negativas.

Exemplo de Título

A odontopediatria é o ramo da odontologia que cuida da saúde bucal das crianças. Hoje sabemos que o grande medo que as pessoas têm de enfrentar a cadeira do dentista é devido às experiências negativas que tiveram quando crianças. Por esse motivo, o trabalho do odontopediatra é tão importante.

São eles os responsáveis pela higiene não só das crianças que já tem dentinhos, mas também dos bebês e das gestantes. Aliás, as mães devem procurar esses profissionais ainda durante a gravidez, enquanto ainda tem um tempinho sobrando, para se informar sobre os cuidados que devem ter a partir do nascimento.

O tratamento para crianças também requer cuidado especial. Os pequenos precisam de maior atenção e psicologia para que a visita ao dentista não vire uma tortura. O ambiente também deve ser atrativo, ajudando a criança a se sentir confiante e descontraída.

É importante que os pais conversem com o odontopediatra sobre qualquer experiência ruim que a criança tenha tido para que o profissional saiba ajuda-lo a lidar com esse medo e o tratamento ocorra da melhor maneira possível.

Odontopediatria
Saiba +

Oftalmologia

Oftalmologista é o médico especialista em oftalmologia, ou seja, completou o curso regular de medicina e especializou-se nas patologias e no tratamento dos olhos e seus anexos.

Oftalmologia

Oftamologista é o médico especialista em oftalmologia, ou seja, completou o curso regular de medicina e especializou-se nas patologias e no tratamento dos olhos e seus anexos.

O oftalmologista está apto para realizar cirurgias, prescrever tratamentos, medicamentos e correções para os distúrbios da visão, podendo atuar nas diversas sub-especialidades da oftalmologia, como cirurgia refrativa, oculoplástica, orbitárias, oftalmo-pediatria, cirurgia refrativa, catarata, glaucoma, ​entre outras.

Oftalmologia
Saiba +

Ortodontia

Ortodontia é uma especialidade odontológica que corrige a posição dos dentes e dos ossos maxilares posicionados de forma inadequada.

Ortodontia

É uma especialidade odontológica que corrige a posição dos dentes e dos ossos maxilares posicionados de forma inadequada.

Dentes tortos ou dentes que não se encaixam corretamente são difíceis de serem mantidos limpos, podendo ser perdidos precocemente, devido à deterioração e à doença periodontal.

Também causam um estresse adicional aos músculos de mastigação que pode levar a dores de cabeça, síndrome da ATM e dores na região do pescoço, dos ombros e das costas. Os dentes tortos ou mal posicionados também prejudicam a sua aparência.

O tratamento ortodôntico torna a boca mais saudável, proporciona uma aparência mais agradável e dentes com possibilidade de durar a vida toda. especialista neste campo é chamado de ortodontista. 

Ortodontia
Saiba +

Ortopedia

A ortopedia é a especialidade médica que cuida da saúde relacionadas aos elementos do aparelho locomotor, como ossos, músculos, ligamentos e articulações.

Ortopedia e Traumatologia

A ortopedia é a especialidade médica que cuida da saúde relacionadas aos elementos do aparelho locomotor, como ossos, músculos, ligamentos e articulações; já a traumatologia é a especialidade médica que lida com o trauma do aparelho músculo-esquelético.

A ortopedia se disseminou como um ramo da medicina na época romana, onde se desenvolveu métodos cirúrgicos de se consertar fraturas.

No Brasil as especialidades são unificadas, recebendo o nome de "Ortopedia e Traumatologia" e também a especialidade da odontologia intitulada cirurgia e traumatologia bucomaxilofacial que, por sua vez, cuida do complexo bucomaxilofacial, propriamente dito. Na Fisioterapia a área de fisioterapia ortopédica é a que cuida da avaliação e tratamento das disfunções envolvendo o sistema músculo-esquelético.

Existem diversas doenças ósseas que independem do trauma, como o câncer ósseo, luxações congênitas e deformidades ósseas que necessitam de tratamento médico. As hérnias de disco, causadoras de dores intensas na coluna, podem ser operadas tanto por ortopedistas como por neurocirurgiões, dependendo de sua formação.

O aumento da velocidade de locomoção do ser humano trouxe também o trauma, considerada uma doença, ao contrário do antigo termo utilizado, que era "acidente".

Outro importante campo de atuação da especialidade é na área do esporte, onde temos as lesões esportivas com características próprias de cada esporte em particular (um gesto, uma lesão). As lesões decorrentes das atividades esportivas envolvendo o sistema músculo-esquelético de modo geral envolvem os músculos, tendões, cápsula e ligamentos articulares e os ossos nos mais diversos graus de comprometimento, afastando o atleta de suas atividades esportivas por tempo determinado, de acordo com a gravidade da lesão.

Um acidente de trânsito terrestre, aéreo ou mesmo doméstico pode acarretar fraturas ósseas complexas, com perdas sanguíneas importantes. As fraturas podem ser "fechadas", isto é, houve uma fratura mas a parte fraturada não se comunicou com a parte externa, sendo por isso considerada uma fratura limpa e que pode ser alinhada e mantida imobilizada com gesso. Outro tipo de fratura é a "exposta", que ocorre quando a fratura tem alguma comunicação com o meio exterior. Um exemplo seria um fêmur fraturado que rasgasse a pele e aparecesse do lado de fora da perna.

Embora a traumatologia ortopédica pareça ser o estudo de todo tipo de trauma, ela lida apenas com as lesões ósseas e musculares tendinosas dos membros superiores, inferiores, bacia e coluna. O trauma abdominal é avaliado pelo cirurgião geral; o trauma craniano pelo neurocirurgião; o trauma de tórax é avaliado pelo cirurgião do trauma ou cirurgião torácico. Erro muito comum é o encaminhamento de vítimas de trauma torácico e facial para o ortopedista, o qual trata do esqueleto axial (coluna) e membros.

Ortopedia
Saiba +

Otorrinolaringologia

A otorrinolaringologia é uma especialidade médica que cuida das doenças do ouvido, do nariz e seios paranasais, faringe, laringe, cabeça, pescoço, boca e esôfago.

O que é otorrinolaringologista e como é sua formação?

O otorrinolaringologista é o médico responsável por tratar das doenças ligadas ao ouvido, ao nariz e à garganta, além de estruturas relacionadas com eles, como a cabeça e o pescoço. O termo é uma aglutinação das palavras de origem grega oto (orelha), rino (nariz) e laringo (garganta). Trata-se, portanto, de campo com diversas subespecialidades e que pode ter caráter tanto clínico quanto cirúrgico – incluindo nessa categoria tanto cirurgias mais simples (como as de amígdalas) até as mais complexas (como as de tumores da base do crânio).

A princípio, as funções de um otorrinolaringologista podem parecer amplas e um tanto vagas, especialmente para pacientes que dispõem de pouco tempo para se consultarem em relação a determinados sintomas e, assim, detectarem e tratarem doenças a tempo. 

Por ser um campo de estudos na medicina que se expandiu bastante nos últimos 50 anos, há uma ampla gama de especialidades e de subespecialidades que podem ser diagnosticadas prontamente por meio do exame físico. Dessa forma, sintomas comuns como problemas com audição, dores nas costas ou congestões nasais, podem ser abordadas de forma prática, sem prejudicar a agenda do paciente.

De acordo com dados de 2018 da Associação Médica Brasileira (AMB), existem por volta de 6.400 otorrinolaringologistas atuando no país. A especialização para se tornar um otorrinolaringologista permite a atuação tanto em consultórios quanto em hospitais públicos, privados e clínicas especializadas.

Para a especialização de otorrinolaringologista, o primeiro pré-requisito é, naturalmente, o diploma de medicina. Com isso, o profissional que deseja a especialização em otorrinolaringologia pode optar por realizar a residência médica na área ou fazer um curso de especialização com esse enfoque.

Dentre as qualificações relevantes e internacionalmente reconhecidas na otorrinolaringologia, vale destacar a Junta Americana de Otorrinolaringologia (ABOTO). Estabelecido desde 1924, o órgão certifica cirurgiões de cabeça e pescoço por meio de um processo de treinamento em residência e exames específicos, além de realizar a manutenção do processo de certificação desde 2002.

A certificação da Junta Americana de Otorrinolaringologia exige:

  • Quatro anos de faculdade completos;
  • Quatro anos de faculdade de medicina;
  • Cinco anos adicionais de programa de residência médica;
  • Pelo menos nove meses de treinamento básico de cirurgia, emergência, cuidados intensivos e anestesia no primeiro ano de residência;
  • Pelo menos 48 meses de educação progressiva na especialidade.

No entanto, para a Junta Americana de Otorrinolaringologia, a certificação não termina com a aprovação dos exames. Trata-se de um processo de atualização contínuo que passa por toda a carreira profissional do otorrinolaringologista. A organização é independente, não tem fins lucrativos e é parte dos 24 conselhos de certificação do American Board of Medical Specialties (ABMS).

Os campos de especialização no segmento de otorrinolaringologia são diversos. Dependendo da especialidade, alguns otorrinolaringologistas poderão necessitar de cursos e de tempo de estudo adicionais focados na especialidade de sua escolha. Gradativamente, isso forma profissionais aplicados em gerenciarem e oferecerem serviços personalizados, focados em uma determinada especialidade. 

As áreas de especialização são as seguintes:

  • Imunoterapia: atua na prevenção de gatilhos e medicação para tratamentos de alergia;
  • Cirurgia plástica: sendo ela facial ou reconstrutiva na região da face, do pescoço e das orelhas, tanto para fins cosméticos como funcionais;
  • Tratamento oncológico: remoção de tumores benignos ou malignos na cabeça, no pescoço, no nariz e na garganta;
  • Laringologia: tratamento de distúrbios na garganta e na voz;
  • Otologia e neurotologia: tratamento de distúrbios na orelha. Envolve também distúrbios que tenham origem nos nervos que afetem a audição e o equilíbrio;
  • Pediatria focada na otorrinolaringologia: área voltada ao tratamento para crianças, incluindo problemas de formação e desenvolvimento congênito;
  • Rinologia: tratamento de distúrbios no nariz e de inflamação dos sinos nasais, popularmente conhecidas como sinusites.

Desse modo, a formação com especialização em otorrinolaringologia oferece uma grande gama de possibilidades de atuação, mesmo nos quatro anos iniciais de formação médica do profissional. Isso inclui desde a atuação clínica no tratamento de alergias e lesões até os campos de cirurgia estética e funcional. Ainda, existe uma grande variedade de oportunidades tanto na rede pública quanto na privada de exercer tal função.

O conjunto de ouvido, nariz e garganta, ao longo dos anos, fez com que o otorrinolaringologista precisasse conquistar novos espaços acadêmicos e, por sua vez, profissionais. É comum que novas especialidades e carreiras na medicina acabem por criar intersecções. Um tratamento auditivo, por exemplo, pode ter um otorrinolaringologista atuando na etapa clínica ou diretamente nos procedimentos cirúrgicos, sendo auxiliado por outros profissionais.

O resultado dessa evolução do otorrinolaringologista enquanto profissional é a de uma atuação cada vez mais preocupada em trabalhar com novas técnicas, tratamentos e exames, expandindo, dessa forma, sua efetividade em diferentes especialidades.

De que tipo de casos trata o otorrinolaringologista?

Os tratamentos que são de responsabilidade do otorrinolaringologista estão ligados a doenças que afetem o nariz, os seios paranasais, os ouvidos, a faringe e a laringe. No sistema auditivo, o otorrinolaringologista também é responsável por cuidar de doenças que afetem o equilíbrio do paciente, como aquelas com sintomas como tonturas e vertigens.

Dentre os principais sintomas e doenças cuja análise e tratamento são de responsabilidade do otorrinolaringologista, podemos destacar:

  • Rinite: irritação e inflamação das cavidades nasais.
  • Sinusite: irritação e inflamação dos sinos nasais.
  • Desvio do septo nasal: distúrbio na parede de cartilagem entre as narinas. Pode ser congênito ou resultante de processos inflamatórios ou infecciosos, podendo causar interferências na função respiratória.
  • Polipose nasal: formações polipoides (tumores benignos) detectadas nas cavidades nasais e nos seios paranasais. Ocorre como resultado de processo inflamatório crônico da mucosa nasal.
  • Apneia: relaxamento dos músculos da garganta e fechamento das vias respiratórias, impedindo a respiração adequada do paciente.
  • Surdez: sendo a perda auditiva parcial ou total, além de zumbidos.
  • Otites: infecção do ouvido médio, podendo resultar em inflamações e acúmulo de secreção na região.
  • Amidalite: infecção das amígdalas, tecido atrás da garganta. Pode causar febre, dor de garganta e inchaços na região do pescoço.
  • Faringite: infecção bacteriana ou viral na parte posterior da garganta.
  • Paralisia facial: perda de movimento nos músculos da face por conta de problemas nos nervos.
  • Dificuldade para engolir: sintoma que pode estar ligado a doenças que afetem garganta e pescoço.
  • Alterações nas pregas vocais: nódulos ou calos, geralmente identificados pelo sintoma da rouquidão, podendo indicar problemas relacionados.
  • Labirintite e distúrbios do labirinto: podendo causar sintomas de tontura, náuseas, zumbidos no ouvido e, até mesmo, diminuição na audição.
  • Outras situações: envolvendo câncer nas cordas vocais, câncer da laringe, pólipos nasais, distúrbios do sono, perfuração do tímpano, tumores cervicais benignos e malignos, dentre outras.

Como é possível perceber, existem sintomas que podem vir a evoluir para quadros mais críticos e se tornarem doenças que exijam a atenção especializada do otorrinolaringologista. Por outro lado, existem sintomas mais comuns e menos sérios, que são facilmente controlados. Um resfriado, por exemplo, causa inflamações na garganta e nas mucosas. Apesar disso, raramente trata-se de um quadro que evolua para uma pneumonia ou algo mais grave.

Quais são os procedimentos realizados pelo otorrinolaringologista?

Em um consultório, envolvendo procedimentos mais simples, os atendimentos mais comuns a serem realizados por esse especialista são:

  • Retirada do cerúmen – a popular cera de ouvido, e descongestionamento das vias auditivas;
  • A nasofibrolaringoscopia – um procedimento que examina por dentro do nariz, identificando doenças possíveis no local, nos seios da face e na garganta;
  • Cauterização nasal – em caso de hemorragias em toda a estrutura do nariz, como septo e mucosas;
  • Audiometria – exame de audição a fim de averiguar o nível mínimo de intensidade sonora percebida pelo paciente;
  • Drenagens diversas – comumente feitas em abscessos localizados na garganta, no nariz ou nas orelhas;
  • Remoção de cáseo – bastante conhecida como “bolinha na garganta”, é a retirada de uma substância pastosa amarela ou esbranquiçada, derivada da da necrose de tecidos nas amígdalas;
  • Laringoscopia direta – exame para detecção de doenças da voz e da deglutição;

Ainda no consultório, outros procedimentos comuns envolvendo um otorrinolaringologista são as biópsias de lesões de boca, nariz e ouvidos; o famoso teste da orelhinha, que tem nome técnico de emissões otoacústicas evocadas por transientes; espectrografias vocais; curativos otológicos; a imitanciometria; triagem auditiva neonatal; tratamento de sangramentos nasais e as videolaringoscopias, videonasoendoscopias e videonistagmoscopias.

Já no campo cirúrgico, normalmente realizada em hospitais, as atividades realizadas pelo profissional envolvem procedimentos relacionados ao ouvido, nariz e laringe, além da retirada de tumores em tratamentos de câncer ligados aos mesmos órgãos.

Como é a atuação do otorrinolaringologista?

Os sintomas que geralmente levam o paciente à procura de um otorrinolaringologista, de uma forma clara, estarão relacionados a dificuldades para ouvir, respirar ou engolir alimentos.

Em relação a distúrbios auditivos, por exemplo, o otorrinolaringologista tem atuação exclusiva e cada vez mais expressiva. Conforme levantamento recente realizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), quase 15% dos brasileiros apresenta algum nível de surdez e, a cada ano, aumentam em torno de 1% os novos casos de deficiência auditiva.

Os problemas de inflamação nos sinos nasais, a popular sinusite, ocupa o segundo lugar nos diagnósticos mais comuns, figurando por volta de 28,5 milhões de adultos diagnosticados, o que equivale a 12,1% do quadro. Além da sinusite, o otorrinolaringologista também inclui em suas subespecialidades o tratamento de alergias e distúrbios com o olfato.

Por último, doenças decorrentes de inflamação na garganta e esôfago também são de responsabilidade dos otorrinolaringologistas, o que inclui problemas na voz e no processo de comer ou engolir.

Englobar doenças e distúrbios na cabeça, rosto e pescoço é algo relativamente recente nos 50 anos de estudos e práticas em otorrinolaringologia. No entanto, dependendo do quadro e dos sintomas apresentados, o otorrinolaringologista também pode tomar a frente no tratamento de infecções, traumas, deformidades e até mesmo cânceres. Quanto a esse aspecto, vale ressaltar que é comum que se tenha uma intersecção do trabalho do otorrinolaringologista com outros profissionais focados em outras especialidades, tais como cirurgiões orais, dermatologistas e oncologistas, por exemplo.

As subespecialidades do campo da otorrinolaringologia surgem em decorrência do avanço dos conhecimentos na área de otoneurologia, isso é, de problemas de tontura. Com esse avanço, etapas de diagnóstico e tratamento do otorrinolaringologista podem encontrar limitações em relação ao aspecto cirúrgico, caso ele não obtenha formação em uma subespecialidade que permita que ele possa focar em serviços personalizados.

Em procedimentos cirúrgicos mais complexos, é importante que haja um foco de atuação maior nessas questões. Geralmente, a formação capacita que futuros otorrinolaringologistas realizem boa parte das cirurgias da especialização desejada. No entanto, é importante que se tenha um aprimoramento no ano final de sua formação médica para a área em que desejam atuar.

Uma das atuações do otorrinolaringologista mais recorrentes é o trabalho em pronto-socorro. Isso ocorre pois o mercado tem o costume de absorver essas especialidades para agirem primariamente sob essa demanda. Apesar disso, existe um crescimento claro de opções especializadas de otorrinolaringologistas em consultórios e ambulatórios privados.

As cirurgias realizadas nos hospitais por otorrinolaringologistas geralmente são operações de menor urgência, salvo casos isolados, podendo ser marcadas de acordo com a comodidade e a disponibilidade do paciente. Ter um consultório próprio pode ser uma dificuldade para o profissional, especialmente em relação a pacientes conveniados. É comum que as áreas das grandes metrópoles estejam saturadas em suas especialidades. Por conta disso, é recomendado que o paciente busque por opções que possam oferecer um serviço de qualidade na especialidade desejada.

Ao buscar um otorrinolaringologista, busque por um profissional com o melhor atendimento, tanto em termos de conhecimento quanto de estrutura. Boa parte dos sintomas referentes à obstrução no nariz e ouvidos envolve a ação desse profissional. Entre as doenças mais tratadas por otorrinolaringologistas ainda estão as relacionadas a inflamações em estruturas olfativas e auditivas. Portanto, para que se tenha o melhor diagnóstico, vale a pena procurar por um profissional que possa oferecer praticidade e esteja próximo ao seu local de trabalho ou residência.

O caso do otorrinolaringologista enquanto profissional está intrinsecamente relacionado às suas especialidades em sintomas comuns. Um resfriado, por exemplo, pode envolver ouvidos inflamados, nariz escorrendo e garganta doendo. Além disso, as funções e os sentidos mais básicos e essenciais para uma vida saudável estão nos ouvidos, no nariz e na garganta. O otorrinolaringologista cumpre uma função social em garantir que essas funções possam performar perfeitamente.

Vale destacar que a prevenção de doenças futuras é importante. Por conta disso, é crucial contar com o apoio de profissionais que saibam fundamentar seu tratamento e oferecer dicas de prevenção no longo prazo, aumentando a saúde e a qualidade de vida do indivíduo.

Quando procurar um otorrinolaringologista?

Muitas vezes, a consulta com o otorrinolaringologista é indicada por outro médico – como clínico geral ou pediatra – que identificou alguma possível doença no ouvido, no nariz ou na garganta do paciente. Ainda, deve-se procurar esse profissional sempre que se sentir alguma anormalidade ou desconforto nessas áreas do corpo.

Dada a abrangência de atuação do especialista, ele exerce papel fundamental em todas as fases de nossa vida. Casos de otites e amigdalites comumente levam as crianças ao seu consultório. Já no caso dos adultos, quadros de rinite ou sinusite frequentemente são motivações para buscar o auxílio desse médico. E na terceira idade, situações de surdez ou distúrbios relacionados ao equilíbrio são alvo constante da procura pelo especialista.

Por fim, destacamos que sempre que sintomas como os descritos a seguir se manifestarem, é hora de procurar o auxílio de um otorrinolaringologista:

  • Dor de garganta ou dificuldade para engolir;
  • Dor ou desconforto nos ouvidos;
  • Dor de cabeça ou na face;
  • Zumbido nos ouvidos;
  • Má qualidade do sono;
  • Problemas de equilíbrio;
  • Sangramento nasal;
  • Rouquidão;
  • Secreção nos ouvidos;
  • Redução da acuidade auditiva;
  • Coriza intensa;
  • Amígdalas aumentadas;
  • Presença de cáseo nas amígdalas;
  • Tontura.

Otorrinolaringologia na Clínica Croce

Fundada pelo Professor Dr. Júlio Croce, um dos primeiros médicos da USP (Universidade de São Paulo) a clínica conta com uma equipe de otorrinolaringologia com expertise e pronta a oferecer um tratamento clínico ou cirúrgico eficaz e qualificado a seus pacientes. A Clínica Croce conta com os principais meios para diagnosticar e tratar doenças nos ouvidos, nariz e laringe, além de um time multidisciplinar de alto nível técnico, sendo referência na Zona Oeste de São Paulo, capital. Pacientes que buscam tratamentos específicos para as doenças respiratórias e outros casos que citamos aqui, além de imunoterapia para rinite, testes e exames alérgicos, têm na Clínica Croce a opção ideal em sua busca.

Você gostaria de saber mais sobre a otorrinolaringologia? Deixe seus comentários logo abaixo. E se ainda tiver dúvidas sobre o que esse profissional pode oferecer para seu tratamento médico, não deixe de conferir este outro artigo sobre o assunto.

Otorrinolaringologia
Saiba +

Ozonioterapia

O ozônio no corpo tem importantes propriedades analgésicas, anti-inflamatórios e antissépticas, melhora a oxigenação dos tecidos e fortalece o sistema imunológico.

A Ozonioterapia

A ozonioterapia consiste num processo em que é administrado gás de ozônio no corpo para tratar alguns problemas de saúde. O ozônio é um gás composto por 3 átomos de oxigênio que tem importantes propriedades analgésicas, anti-inflamatórias e anti-sépticas, além de ter um efeito de melhora da oxigenação dos tecidos, assim como fortalecimento do sistema imune.

Devido às suas propriedades, esta é uma terapia que pode ser sugerida no tratamento de problemas crônicos, como artrite, dor crônica, feridas infectadas e atraso da cicatrização, por exemplo.

O tratamento deve ser realizado por um profissional de saúde, aplicando o ozônio localmente ou injetando via intravenosa, via intramuscular ou por insuflação retal.
 

Para que serve e como funciona

A terapia com ozônio funciona interrompendo processos não saudáveis no corpo, como o crescimento de bactérias patogênicas se houver uma infecção, ou impedindo alguns processos oxidativos, podendo por isso ser usado para melhorar diversos problemas de saúde:
 

Problemas Respiratórios

Como promove entrada de maior quantidade de oxigênio no sangue, a ozonioterapia é uma boa opção para aliviar os sintomas de pessoas com problemas respiratórios, como asma, bronquite e DPOC.

Isso acontece porque a entrada de maior quantidade de oxigênio no sangue, provoca um aumento na taxa de glicólise dos glóbulos vermelhos, aumento também a quantidade de oxigênio liberado para os tecidos.

Além disso, aumenta significativamente a resistência das vias aéreas e a frequência respiratória.
 

Distúrbios no sistema imune

A terapia com ozônio pode trazer benefícios para pessoas com o sistema imunológico debilitado e ajudar a tratar doenças como esclerose múltipla, artrite reumatoide ou miastenia gravis, por exemplo, já que estimula e reforça o sistema imune, aumentando o número de moléculas envolvidas na emissão de sinais entre as células durante o desencadeamento das respostas imunes.
 

Tratamento da AIDS

Vários estudos comprovam que a ozonioterapia pode ser utilizado para complementar o tratamento do HIV, o vírus da AIDS, por facilitar a inativação de uma proteína nuclear do vírus, além de ter função como antioxidante e antimicrobiano.
 

Tratamento do Câncer

Alguns estudos comprovam também que o ozônio administrado em uma concentração entre 30 e 55 μg / cc causa aumento na produção de interferon, que é uma proteína produzida para, entre outros mecanismos, interferir na replicação de células tumorais e estimular a atividade de defesa de outras células.

Além disso, leva também ao aumento do fator de necrose tumoral e interleucina-2, que por sua vez estimula uma cascata de reações imunológicas subsequentes.

A terapia com ozônio pode ainda ser usada juntamente com a radioterapia e a quimioterapia para reduzir o risco de complicações e aumentar sua eficácia.
 

Tratamento de Infecções

A ozonioterapia leva também à inativação de bactérias, vírus, fungos e parasitas. Nas bactérias atua através de um mecanismo que interrompe a integridade do envelope celular bacteriano, levando à oxidação dos fosfolipídios e lipoproteínas.

Nos fungos, o ozônio inibe o crescimento celular em certos estágios e em vírus danifica o capsídeo viral e perturba o ciclo reprodutivo ao interromper o contato entre o vírus e a célula com a peroxidação.

Alguns estudos já demonstraram sua eficácia em infecções como a doença de Lyme, infecções vaginais e até candidíase vaginal ou intestinal.
 

Complicações na diabetes

Algumas complicações na diabetes podem ser atribuídas ao estresse oxidativo no corpo e estudos demonstram que o ozônio ativa o sistema antioxidante que afeta o nível de glicemia. Conheça outras formas de tratar os vários tipos de diabetes.

Além disso, como esta terapia ajuda com a circulação sanguínea, pode permitir a melhora da vascularização de tecidos afetados pela falta de oxigênio produzida pela diabetes. Assim, e embora ainda não existam estudos com resultados bem comprovados, este tipo de terapia pode também ser experimentada para melhorar a cicatrização de úlceras em pessoas com diabetes.
 

Tratamento de feridas

O ozônio pode ainda ser usado para o tratamento de feridas, aplicando o gás diretamente na região afetada. Em um estudo in vitro, observou-se que o ozônio é muito eficaz na redução das concentrações de Acinetobacter baumannii, Clostridium difficile e Staphylococcus aureus.

O ozônio pode também ser usado para tratar doenças inflamatórias, como artrite, reumatismo, degeneração macular, hernia de disco, problemas circulatórios, síndrome respiratória aguda grave, em sintomas hipóxicos e isquêmicos e para diminuir o colesterol no sangue.

Além disso tem também sido usado em odontologia, no tratamento de cáries dentárias.
 

Como é feito o tratamento

O tratamento com ozônio deve ser realizado por um profissional de saúde e nunca por via inalatória.

Existem várias formas de realizar a ozonioterapia, aplicando o gás diretamente na pele, caso se pretenda tratar uma ferida, via intravenosa ou intramuscular. Para administrar o ozônio pela veia, para tratar outros problemas de saúde, é retirada uma determinada quantidade de sangue que é misturada com o ozônio e depois é administrado novamente na pessoa via intravenosa. Também pode ser administrada via intramuscular, em que o ozônio pode estar misturado com o sangue da própria pessoa ou com água estéril.

Além disso, também são usadas outras técnicas, como a injeção intradiscal, paravertebral ou insuflação retal, em que é introduzida uma mistura de ozônio e oxigênio através de um cateter no cólon.
 

Possíveis efeitos colaterais

O fato de o ozônio ser ligeiramente instável torna-o um pouco imprevisível, podendo danificar os glóbulos vermelhos do sangue e por isso a quantidade usada no tratamento deve ser precisa.
 

Quando não deve ser usado

O ozônio médico está contraindicado em casos de gravidez, assim como em pacientes com infarto agudo do miocárdio, hipertireoidismo não controlado, intoxicação alcoólica ou problemas de coagulação, especialmente casos de favismo.

 

Fonte original: https://www.tuasaude.com/tratamento-com-ozonio/

Ozonioterapia
Saiba +

Pediatria

A pediatria é o ramo da medicina que avalia o desenvolvimento de crianças de todas as idades. Atua na prevenção e no tratamento das mais diversas doenças infantis.

Desde os primeiros dias de vida até a entrada na puberdade, é o médico pediatra quem cuidará da saúde da pessoa em todos os aspectos, como aleitamento materno, nutrição, prevenção de doenças, vacinas e enfermidades que atingem o ser humano nesta fase da vida.

Quando devo procurar um pediatra?

O médico pediatra deve estar presente, na verdade, desde o nascimento da criança. Ele é de grande ajuda para orientar os pais na hora de lidar com todas as situações que envolvem os primeiros meses de vida do bebê, como a alimentação, cólicas, dores, problemas de sono e comportamento.

O pediatra é também quem irá acompanhar o crescimento da criança, checando se seu desenvolvimento está ocorrendo da maneira adequada em todos os sentidos, do crescimento ao aspecto neuromotor, além de acompanhar o calendário de vacinação, a fim de evitar doenças sérias e muito comuns na infância, como caxumba, catapora, sarampo, dentre outras.

Pediatria
Saiba +

Psicologia

Psicologia é o estudo científico dos processos mentais e do comportamento do ser humano e as suas interações com o ambiente físico e social.

Psicologia

Psicologia é o estudo científico dos processos mentais e do comportamento do ser humano e as suas interações com o ambiente físico e social. O objetivo da psicologia é diagnosticar, prevenir e tratar distúrbios emocionais e doenças mentais.

A psicologia procura descrever sensações, emoções, pensamentos, percepções e outros estados motivadores do comportamento humano. Para isso, o psicólogo (profissional da psicologia) utiliza de métodos capazes de analisar os fenômenos comportamentais e psíquicos dos pacientes. Os comportamentos dos animais, por outro lado, são estudados pela Etologia.

Grande parte das investigações em Psicologia são realizadas através do método de observação, sendo a observação sistemática, delimitada pelas condições do que se pretende observar, a mais utilizada. Em alguns casos, a observação é ocasional, isto é, não segue um plano pré-estabelecido.

A palavra psicologia provém dos termos gregos psico (alma ou atividade mental) e logía (estudo).

Segundo o psicólogo austríaco H. Rohracher, psicologia "é a ciência que investiga os processos e estados conscientes, assim como as suas origens e efeitos". Esta definição indica bem a dificuldade de abranger em um só conceito todos os fenômenos psíquicos.

São possíveis e justificáveis dois aspectos fundamentalmente distintos: o das ciências naturais, que procura uma explicação causal, e o das ciências filosóficas, que pede uma explicação de sentido.

Psicologia
Saiba +

Psiquiatria

É responsável pelo diagnóstico e tratamento dos chamados Transtornos Mentais e de Comportamento, atuando com a prevenção, o diagnóstico, o tratamento e a reabilitação dos diferentes doenças mentais.

Psiquiatria

 

Psiquiatria é uma das especialidades da Medicina, e basicamente é responsável pelo diagnóstico e tratamento dos chamados Transtornos Mentais e de Comportamento, atuando com a prevenção, o diagnóstico, o tratamento e a reabilitação dos diferentes modos de manifestações das doenças mentais em geral. São exemplos destas: a depressão, o transtorno bipolar, a esquizofrenia, a demência e os transtornos de ansiedade. Os médicos especializados em psiquiatria são em geral designados por psiquiatras (até meados do século XX foi também comum a designação alienistas).

A meta principal é o alívio do sofrimento e o bem-estar psíquico. Para isso, é necessária uma avaliação completa do paciente, com perspectivas biológica, psicológica e de ordem cultural, entre outras afins. Uma doença ou problema psíquico pode ser tratado com medicamentos ou terapêuticas diversas, como a psicoterapia, prática de maior tradição no tratamento.

A avaliação psiquiátrica envolve o exame do estado mental e a história clínica. Testes psicológicos, neurológicos, neuropsicológicos e exames de imagem podem ser utilizados como auxiliares na avaliação, assim como exames físicos e laboratoriais. Os procedimentos diagnósticos são norteados a partir do campo das psicopatologias; critérios bastante usados hoje em dia, principalmente na saúde pública, são a CID-10 da Organização Mundial de Saúde, adotada no Brasil, e o DSM-V da American Psychiatric Association.

Os medicamentos psiquiátricos são parte importante do arsenal terapêutico, o que é único na Psiquiatria, assim como procedimentos mais raramente utilizados, muito já criticados na história do movimento psiquiátrico, como a eletroconvulsoterapia. A psicoterapia também faz parte do arsenal terapêutico do psiquiatra, embora também possa ser utilizada por outros profissionais de saúde mental: Psicólogos e Psicanalistas. No entanto, a ferramenta da psicoterapia é sempre útil para as entrevistas diagnósticas e orientações; para praticá-la o psiquiatra deve fazer a formação complementar. Os serviços psiquiátricos podem fornecer atendimento de forma ambulatorial ou em internamento. Em casos de sofrimento grave do paciente e risco para si e para os outros que o cercam, a indicação de internação pode até ocorrer de forma involuntária. Tanto a clínica quanto a pesquisa em psiquiatria são realizadas de forma interdisciplinar.

A palavra Psiquiatria deriva do Grego e quer dizer "arte de curar a alma".

Aparentemente, a Psiquiatria originou-se no século V a.C., enquanto que os primeiros hospitais para doentes mentais foram criados na Idade Média. Durante o século XVIII a Psiquiatria evoluiu como campo médico e as instituições para doentes mentais passaram a utilizar tratamentos mais elaborados e humanos. No século XIX houve um aumento importante no número de pacientes. No século XX houve o renascimento do entendimento biológico das doenças mentais, introdução de classificações para os transtornos e medicamentos psiquiátricos. A antipsiquiatria ou movimento anti-psiquiátrico surgiu na década de 1960 e levou à desinstitucionalização em favor aos tratamentos na comunidade. Estudos científicos continuam a buscar explicações para as origens, classificação e tratamento dos transtornos mentais.

Os transtornos mentais são descritos por suas características patológicas, ou psicopatologia, que é um ramo descritivo destes fenômenos. Muitas doenças psiquiátricas ainda não têm cura. Enquanto algumas têm curso breve e poucos sintomas, outras são condições crônicas que apresentam importante impacto na qualidade de vida do paciente, necessitando de tratamento a longo prazo ou por toda a vida. A efetividade do tratamento também varia em cada paciente.

 

Subespecialidades

Alguns psiquiatras especializam-se em certos grupos etários como pedopsiquiatras (especialistas em crianças e adolescentes) e os gerontopsiquiatras (especialistas em problemas psiquiátricos dos idosos). Muitos médicos que redigem laudo de sanidade (tanto em casos civis quanto criminais) são psiquiatras forenses, que também se especializaram no tratamento de criminosos e ou pacientes que apresentam periculosidade.

A Associação Brasileira de Psiquiatria reconhece as seguintes subespecialidades em psiquiatria:

  • Psiquiatria da infância e adolescência ou Pedopsiquiatria.
  • Psiquiatria forense.
  • Psicogeriatria, Psiquiatria da terceira idade ou Gerontopsiquiatria.
  • Psicoterapia.
  • Interconsulta em Hospital Geral ou Psiquiatria de Ligação.


 

Áreas de Estudo

  • Psicopatologia, ou ciência que estuda os comportamentos anormais.
  • Emergência Psiquiátrica ou atendimento de casos críticos como doentes em crise (psicose, tentativa de suicídio, por exemplo).
  • Psiquiatria da Infância e Adolescência, que atende problemas específicos desta faixa etária (autismo, Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade).
  • Psiquiatria Geral, estudo e atendimento de casos em psiquiatria em adultos (depressão nervosa, esquizofrenia).
  • Psiquiatria da terceira idade, especializada no atendimento de problemas como Mal de Alzheimer e manifestações psíquicas da --Síndrome de Parkinson.
  • Psicoterapia.
  • Toxicodependência ou abuso e dependência de drogas, lícitas e ilícitas.
  • Psiquiatria de ligação ou Interconsulta psiquiátrica, que diz respeito ao atendimento de sintomas psíquicos em doenças de outros sistemas, especialmente em doentes internados em hospitais gerais (por exemplo, delírio causado por reações à anestesia ou à baixa oxigenação em doentes cardíacos).
  • --Psiquiatria forense.
  • --Epidemiologia psiquiátrica, que estuda risco e prevalência de doenças na população.
  • --Psiquiatria Comunitária.
  • --Psiquiatria Transcultural ou estudo das diversas manifestações da doença psíquica nas diferentes culturas.


Além destas, na formação do psiquiatra são também fundamentais conhecimentos de Medicina interna, neurologia, radiologia, psicologia, sociologia, farmacologia e psicofarmacologia..
 

Psiquiatria
Saiba +

Terapia Integrativa

A Terapia Integrativa visa diminuir as desarmonias existentes nos indivíduos. Para isso, através de diversas técnicas, procura solucionar problemas físicos, mentais e emocionais dos pacientes

O que é

A terapia integrativa resulta da união de um vasto conjunto de práticas e técnicas voltadas para cuidados na área de saúde.

A terapia integrativa resulta da união de um vasto conjunto de práticas e técnicas voltadas para cuidados na área de saúde. Esse conceito é fruto de uma visão mais ampliada da relação entre terapeuta e paciente, a qual deve ser pautada na transdisciplinaridade e voltada para ajudar a promover uma vida mais equilibrada. Os tratamentos propostos pela terapia integrativa têm como objetivo diminuir ou dissipar as desarmonias existentes nos indivíduos. Para isso, essa área, através de diversas técnicas, procura solucionar problemas físicos, mentais e emocionais dos pacientes.
 

Complemento à medicina convencional

Assim como a medicina integrativa, as terapias integrativas pretendem olhar o processo de cura do paciente de maneira global. Elas não funcionam separadas da medicina convencional. Ao contrário, essas técnicas e práticas se baseiam na união de conhecimentos e na construção de um saber mais efetivo, amplo e profundo.

Portanto, a medicina e a terapia integrativa devem ser vistas como áreas do saber que se somam e podem auxiliar a medicina convencional nos tratamentos. Esse esforço de unir técnicas, práticas e conceitos pretende produzir um grande corpo de conhecimento voltado para a conquista de uma qualidade de vida melhor.
 

Visão da terapia integrativa

A terapia integrativa considera cada pessoa em suas peculiaridades, o que, por sua vez, requer uma abordagem vinculada ao reestabelecimento do equilíbrio e à erradicação das raízes do sofrimento. Ela não visa apenas o tratamento dos sintomas, mas a resolução dos problemas de base.
 
Terapia Integrativa
Saiba +

Ultrassonografia

A ultrassonografia ou ecografia é um método diagnóstico que utiliza o eco gerado através de ondas ultrassônicas de alta frequência para visualizar, em tempo real, as estruturas internas do organismo.

Ultrassonografia
 

A ultrassonografia ou ecografia é um método diagnóstico muito recorrente na medicina moderna que utiliza o eco gerado através de ondas ultrassônicas de alta frequência para visualizar, em tempo real, as estruturas internas do organismo. Por meio de uma ultrassonografia com doppler, o médico é capaz de ver o fluxo sangüíneo nos principais vasos.

Fornece diagnóstico de imagens que complementa aquele feito com raios-X, medicina nuclear e ressonância magnética. Ultrassom não fornece a qualidade de imagem desses outros métodos, e é suscetível a artefatos, mas possui grandes vantagens em relação aos demais exames radiológicos:

Não é um exame caro;
É um exame presente em diversas clínicas e centros hospitalares;
É de rápida execução;
É realizado em tempo real;
Permite maior contato entre o paciente e o radiologista;
Pode ser feito com um instrumento ao lado da cama do paciente;
É seguro, pois não utiliza radiação.
Pelo fato de transmitir as imagens em tempo real, tal técnica é muito importante para o estudo do funcionamento dos órgãos.

No entanto, apresenta algumas desvantagens, pois é incapaz de reproduzir imagens que possibilitem o estudo de estruturas muito internas como as protegidas por ossos.

Ultrassom representa a faixa de frequências acima de 20kHz. Os aparelhos de ultrassom utilizam, em geral, uma frequência a qual varia entre 2 MHz e 10 MHz. Aplicações especializadas de ultrassom usam até 50 MHz (20 MHz no caso da ultrassonografia dermatológica). Tais ondas ultrassônicas são emitidas através de um transdutor, o qual contém um cristal piezoelétrico. O transdutor também recebe os ecos gerados, transformando-os em sinais, que serão interpretados por um computador, para, em seguida, serem exibidos na forma de uma imagem no display.

A sonda funciona, assim, como emissor/receptor. Quanto maior a frequência, maior a resolução obtida e mais precisão se tem na visualização das estruturas superficiais. Conforme a densidade e a composição das interfaces, a atenuação e mudança de fase dos sinais emitidos variam, sendo possível a tradução em uma escala de cinza, que formará a imagem dos órgãos internos.

O preciso Efeito Doppler da ultrassonografia permite, também, conhecer o sentido e a velocidade do fluxo sanguíneo.

A ultrassonografia é um dos métodos de diagnóstico por imagem mais versáteis e ubíquos, de aplicação relativamente simples. Por não utilizar radiação ionizante, como na radiografia e na tomografia computadorizada, é um método relativamente inócuo, pouco dispendioso e ideal para avaliar a evolução fetal. Nas últimas duas décadas do século XX, o desenvolvimento tecnológico transformou esse método em um instrumento poderoso de investigação médica dirigida, exigindo treinamento constante e uma conduta participativa do examinador.

A ultrassonografia é considerada uma modalidade de imageamento segura, contudo as ondas de ultrassom podem produzir efeitos biológicos no corpo. Estas ondas depositam energia nos tecidos conforme se propagam, energia essa que gera um aumento de temperatura nesses tecidos. Em alguns casos, esse aquecimento acaba produzindo pequenos bolsões de gás nos fluidos ou tecidos (cavitação), que podem colapsar gerando danos aos tecidos ou liberando radicais livres, que podem causar danos químicos a moléculas biológicas importantes, como o DNA.

Ultrassonografia
Saiba +

Urologia

Urologia é uma especialidade cirúrgica da medicina que trata do trato urinário de homens e de mulheres e do sistema reprodutor das pessoas do sexo masculino.

A Urologia

Urologia é uma especialidade cirúrgica da medicina que trata do trato urinário de homens e de mulheres e do sistema reprodutor das pessoas do sexo masculino. Os médicos que possuem especialização nesta área são os urologistas, sendo treinados para diagnosticar, tratar e acompanhar pacientes com distúrbios urológicos. Os órgãos estudados pelos urologistas incluem os rinsureteresbexiga urináriauretra e os órgãos do sistema reprodutor masculino (testículosepidídimosducto deferentevesículas seminaispróstata e pênis). As adrenais acabaram entrando na especialidade devido ao aspecto cirúrgico das doenças tumorais das supra-renais. Quando tem indicação cirúrgica de tumor de supra-renal o endocrinologista encaminha para o urologista.

Nos homens, o sistema urinário está integrado com o sistema reprodutor, ao passo que nas mulheres o trato urinário se abre na vulva. Em ambos os sexos, os tratos urinário e reprodutor estão próximos, o que faz com que os distúrbios de um trato geralmente afetem o outro. A urologia combina o acompanhamento de condições não-cirúrgicas como, por exemplo, infecções do trato urinário, e de condições cirúrgicas, como a correção de anomalias congênitas e o tratamento cirúrgico de cânceres. Estas anomalias na região genital são conhecidas como distúrbios geniturinários.

A urologia está relacionada às áreas médicas da nefrologiaandrologiaginecologiaproctologia e oncologia.

Fonte: Wikipedia - https://pt.wikipedia.org/wiki/Urologia

Urologia
Saiba +
JURERÊ MEDICAL CENTER
Rod. Mauricio Sirotsky Sobrinho, 5145
Jurerê- Florianópolis - SC
CEP: 88.053-700
(48) 3028-1030
(48) 9 9817-0646
  contato@jureremedicalcenter.com
Como Chegar
Contato Direto